• Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Instagram Branco

Tratamento de câncer exige atenção odontológica especial

Dra Janine Fernandes, periodontista


O tratamento do câncer, conforme é sabido, geralmente envolve etapas agressivas, que podem gerar efeitos adversos no organismo do paciente. Entre eles, estão alguns comprometimentos importantes para a saúde bucal.


Isso exige uma atitude preventiva atenta, na qual uma abordagem multidisciplinar, envolvendo médicos e dentistas, é fundamental, tanto para garantir a qualidade de vida e o conforto do paciente durante todo o tratamento, quanto para evitar intercorrências que dificultem a continuidade da oncoterapia.


Basicamente, o tratamento oncoterápico é dividido entre as etapas de cirurgia, quimioterapia e/ou radioterapia.

Entre os possíveis efeitos colaterais da radioterapia estão: a tendência ao surgimento da chamada mucosite (inflamação na parte interna da boca e da garganta, que pode provocar úlceras dolorosas e feridas nessas regiões), a possibilidade de danos irreversíveis para as glândulas salivares, o surgimento de cáries de radiação e a osteorradionecrose (e alteração nos vasos sanguíneos, tornando o osso menos irrigado e, conseqüentemente, mais vulnerável a infecção e com menor capacidade de reparação).


Já a quimioterapia, que tem como grande efeito colateral a queda na imunidade do organismo, pode deixar o paciente mais susceptível ao surgimento de infecções. Assim, quadros infecto-inflamatórios na boca podem se complicar e se agravar muito.

Além de tudo isso, o paciente em tratamento quimioterápico tende a perder o apetite e a sofrer com enjoos. Se ainda tiver de conviver com incômodos bucais, a sua disposição e motivação para se alimentar tende a ficar ainda mais comprometida, afetando a resposta ao tratamento como um todo.


Por todas essas razões, a avaliação prévia aos tratamentos oncológicos deve incluir o exame clínico odontológico cuidadoso e minucioso. A observação das experiências anteriores do paciente e de sua história odontológica ajudam a avaliar sua capacidade de cumprir um programa preventivo de cuidados bucais, pois o objetivo do tratamento odontológico prévio é o de estabilizar as condições bucais, a fim de minimizar as chances de infecções locais e/ou sistêmica, durante e após o tratamento do câncer.


Normalmente, a indicação antes do tratamento oncológico é que todos os dentes não restauráveis e/ou com problemas periodontais avançados sejam extraídos, para reduzir a possibilidade de complicações e sequelas. Já aqueles passíveis de restauração devem ser devidamente reabilitados o mais rápido possível.

MARQUE SUA AVALIAÇÃO AGORA

Ligue para o IOS!